Pages

29 de novembro de 2012

Curtinhos Adoráveis!

Quem ai nunca teve vontade de meter a tesoura no cabelo e acabar com tudo? Ou precisa se livrar da química  e não tem a menor ideia de como? Por que não juntar o útil ao agradável e fazer um corte curtinho bem estiloso?













Eu simplesmente AMO cabelos curtinhos. Eai?! Coragem e tesouras prontas!!












27 de novembro de 2012

Henê (Parte Um)




Sim, senhoras e senhores, o post de hoje é sobre o tão temido Henê! Como tem muuuita coisa para falar sobre este produto, farei dois posts. Para os desenformados de plantão, ou aqueles que moram beem longe da cidade, vou lhes explicar.

Henê é um produto cosmético para tratamento capilar usado como alisante, colorante e hidratante para cabelos cacheados, encaracolados ou crespos. Tem consistência cremosa, cor negra ou marrom escura e um intenso odor característico.



IMPORTANTE:
Embora seja um produto antigo, é ainda cercado de mitos. Ao contrário do que se diz, henê não contém chumbo ou metais prejudiciais à saúde. Seu uso e comercialização é permitido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) há mais de 50 anos. Não existem fontes que digam por que nem quando esse mito foi criado, mas conforme as composições dos henês, eles são feitos à base de Pirogalol, que é um fenol. Israel Felzenszwalb, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), realizou um estudo recente que comprova que o fenol Pirogalol utilizado em cosméticos como o henê é inofensivo à saúde humana, por estar em meio ácido, o que anula o efeito cancerígeno da substância. Com esse estudo, mais um mito cai, comprovando que henê não causa câncer.

Segundo a consultoria ACNielsen, o henê representa 22% do mercado de cosméticos de transformação para cabelos no Brasil.

Efeitos nos cabelos Ao contrário de outros alisantes sintéticos que agem internamente nos fios capilares, o henê age externamente – o que cria uma "capa" química que impede o uso posterior de outro alisante. Os efeitos da aplicação de henê são progressivos, só sendo percebidos significativamente a partir da quarta aplicação.

De forma prática, o resultado é um cabelo liso e preto, que não aceitará nenhuma mudança química, pois o henê é incompatível com outras bases químicas como os hidróxidos e o tioglicolato de amônia. Portanto, a cor dos cabelos também não poderá ser mudada. Para usar outra base química é necessário aguardar o crescimento dos fios, até que toda a parte com henê seja eliminada.



Esse post é para lhes explicar também meu drama com Henê, (lembrando que é henê e não henna), todo mundo que usa esse produto passa por uma especie de batalha, que ao meu ver no final é bem recompensada. Por quê? Porque o henê cumpre o que promete, ele alisa sim. Só que como toda a química progressiva ele leva tempo. Tem pessoas que alisa mais rápido, tipo como seis a oito aplicações; outros de dez a vinte, e também tem os meus casos de 27 em diante. 

Um exemplo de quê henê alisa, são as pontas do cabelo que você sempre verá um efeito mais rápido, a raiz como é mais grossa e está sempre crescendo demora um pouco mais, mas quando alisa é de uma vez só.
O henê tem seus prós e contras, como todo o produto químico.

Contras:

Se você é uma pessoa que ama pintar o cabelo desista agora mesmo. E EU ESTOU FALANDO SÉRIO!!! Como diz no texto acima, henê é incompatível com um monte de coisas, tinturas principalmente. Existe a linha de tinturas da natucor que é a única, (A ÚNICA!)  compatível com o henê pois não possui água oxigenada nem amônia em sua composição. 




Mas mesmo assim galera, o henê deixa o cabelo muito preto, então fica super difícil pegar alguma cor vibrante tipo o vermelho ou loiro.

Depois que se começa a usar o henê você está proibida(o) de fazer qualquer outro processo químico a menos que queira meter a tesoura no seu cabelo e esperar ele crescer...

Henê tem um cheiro (odor) característico, que eu já me acostumei, mas para algumas pessoas é fedorento de mais da conta. Alguns henês são aromatizados (cheiro de ervas, chocolate, etc.), mas a maioria tem o famoso cheirinho. 

Uma coisa boa, mas que também é ruim, é que depois que seu cabelo alisa ele fica igual ao de japonês, ou seja, para modelá-lo fica difícil. Cachos da Taylor Swift? Só com babyliss e muito spray fixador.

É preciso passar com um pente fino bem rente a raiz. Quem passa em mim é minha mãe e tipo, ela quase arranca minha cabeça fora de tanto puxar. Mas calma! Procure alguém de mãos leves e fica tudo ok.


Prós:

Ele alisa.

Deixa seu cabelo macio e com muito brilho.

Uma cor viva e que não desbota.

Você se vê livre da escova e da chapinha para SEMPRE!

Henê é nocivo a saúde. Você pode passar quantas vezes for necessário!

Chuva? Pscina? Mar? Pode ir tranquila. Seu cabelo nunca mais voltará a forma natural.




Olhando assim pode parecer... Injusto que os contra sejam maiores que os prós. Mas só de você pensar que seu cabelo vai ficar lindo e liso para o resto da sua vida, quando nenhuma outra escova progressiva ou definitiva prometa isso, acho que é um grande avanço. Eu morro de medo de formol e já vi casos em que pessoas morreram por causa de escovas com o mesmo, então henê é o meu santo milagroso.

Vendo alguns vídeos na net para me manter firme e forte na luta, encontrei esse aqui que tipo descreve a minha luta nas palavras dela, haha! Eu adorei. Então para você que quer começar sua luta com o henê assista ao vídeo.




E quanto mais você procura, mais vídeos encontra de pessoas que usam e gostam do henê.



Ainda hoje existe muito preconceito com esse produto. Ainda mais depois da onda das progressivas, por serem mais caras e o alisamento mais rápido (temporário, mas mais rápido). Entre os cabedeleiros há sim um nariz virado, desde pequena eu vejo esse tipo de coisa. E esse vídeo em forma de sátira (bem exagerado... Haha!) real mostra isso.






Ainda estou na minha luta para obter o liso desejado, mas não vou desistir. Sei que vou atingir o meu pretinho basico, lindo, preto e liso igual ao da Wilma (falo mais dela no próximo post), beijo amores bom começo de semana!


25 de novembro de 2012

My Little Princess



Fazia um tempo que eu não via um filme que me desse vontade de fazer uma postagem comentando sobre ele. Há uns dias eu estava vendo TV e achei esse filme, My Little Princess. Assim que terminei de assistir fiquei chocada e maravilhava ao mesmo tempo.Vamos do começo, com a sinopse que achei aqui.

Hanna e Violetta formam uma dupla invulgar: uma mãe esquiva e uma menina à procura de amor maternal, uma artista caprichosa e uma modelo contrariada. Quando Hanna pergunta à filha se quer ser seu modelo, a vida de Violetta vira-se do avesso. Até então, vivia com a sua meiga avó. Após uma infância banal, torna-se numa musa da cena parisiense na moda…







Não achei sinopse melhor, mas enfim. Hanna, mãe da personagem principal é uma fotógrafa que está em uma fase ''pouco criativa'' de sua carreira. Ela pede para que sua filha, Violeta, de dez anos pose para ela. As fotos saem maravilhosas, Violeta é uma linda menina e com um rosto super expressivo. Até ai tudo bem. Mas as coisas começam a ficar feias quando Hanna pede a Violeta que pose nua. Depois que as fotos são publicadas, Violeta vira um sucesso, mas sua vida começa a mudar drasticamente. Nem todos veem as fotos de sua mãe como ''arte'' e começam a chamá-la de prostituta mirim. O filme mostra como Violeta fica perambulando entre a infância e a vida adulta, às vezes surtando com a mãe e não querendo mais tirar fotos como aquelas, mas voltando atrás algumas vezes e fazendo assim um circulo vicioso. Algumas cenas dão até a entender que Violeta tivera envolvimento sexual naquela época. Hanna é uma traste como mãe, a mulher é relapsa, egoísta, fria e pensa que o fazia realmente era arte. A única boazinha da história é a vovó, e ela morre.


O filme já foi bem chocante em si, agora o que me deixou mais chocada foi saber que a história do filme é real! Isso mesmo. Esse filme foi dirigido por ninguém mais que a atriz Eva Ionesco, a Violeta na vida real. Quando você lê a opinião de Eva sobre sua história percebe que o buraco é bem mais embaixo e com certeza aconteceu muito mais coisa do que ela divulga no filme.
















É terrível pensar que existem mães como a de Eva. Sabe se lá que mais coisas horríveis aconteceram a essa menina enquanto crescia. Hoje ela é uma adulta, mas podemos perceber por suas palavras o quanto rancor ela guarda de sua mãe. É realmente triste.



Sobre o filme eu digo para não esperar grande coisa. É auto biográfico  então bem parado e deixa algumas pontas soltas. Mas para quem quer conhecer mais sobre a vida de Eva, ter uma ideia de como foi sua vida, é uma boa dar uma conferida.


Ruivas (Vermelhas) Estilosas

Me deu saudade do tempo em que meu cabelo era vermelho vermelhusco, dizem alguns que foi a melhor época do meu cabelo... Graças a isso, trago as ruivas que para mim são super estilosas.

Ariana Grande

Allison Iraheta

Rihanna

Dulce Maria

Florence Welch

Hayley Williams

Marimoon

Cindy Lauper 


Ai ai... Vermelho sempre será uma das minhas cores favoritas, e uma ótima opção para quem quer mudar o visual. Se jogue nas Red Colors e seja feliz!


19 de novembro de 2012

American Music Awards!

Oie povo. Domingo (18, ontem), rolou o American Music Awards em Los Angeles. Eu não assisti pela TV, também não me recordo de terem anunciado que iriam transmitir... MAS! Passando no site da Capricho eu vi a postagem que fizeram de algumas apresentações. Destaque para a minha rainha P!nk. A apresentação dela foi linda e vejam a cara da plateia ao final *---* Minha loira está com tudo esse ano e o que vai chegar e com sorte teremos shows dela no Brasil. (Cruzem os dedos). Fica o vídeo da apresentação dela.


Outro que eu tenho que dar uma salva de palmas é para o Psy. Eu fico bege e muito com feliz com a fama dele. É o primeiro coreano que fez sucesso internacional. E estou realmente muito feliz e quero que mais cantores asiáticos bons como ele façam mais e mais sucesso pelo mundo. A apresentação dele também foi de mais. O melhor é o povo todo fazendo a coreografia! Muito bom. Haha!




13 de novembro de 2012

Feminismo, o que é?!


Se você é mulher e nunca ouviu essa palavra antes é melhor desligar o botão da preguiça e sair pesquisando. O feminismo foi o maior evento de luta por igualdade entre homens e mulheres, feita pelas mulheres. Fiz esse post para as meninas entenderem melhor o que é e o que foi o feminismo, que para mim é super importante até os dias de hoje. Antes da preguiça começar a sair lembre-se que: sem esse movimento você não poderia votar, trabalhar, não poderia dizer não ao seu marido (ou até mesmo namorado) quando ele quisesse sexo, não teria o direito de se proteger contra gravidez indesejada e DST entre muitas outras coisas, que hoje são nosso direitos, mas que em outras épocas era só um sonho.




Feminismo deve ser entendido como um conjunto de teorias que, segundo as feministas e intelectuais, dividiram a história do movimento em três momentos: o primeiro refere-se fundamentalmente à conquista do sufrágio feminino, movimentos do século XIX e início do XX preocupados principalmente com o direito da mulher ao voto. O segundo grande movimento diz respeito às ideias e ações associadas com os movimentos de liberação feminina iniciados na segunda metade da década de 1960, que lutaram pela igualdade jurídica e social das mulheres. O terceiro grande momento, tendo iniciado na década de 1990, pode ser considerado uma continuação e uma reação às falhas do segundo movimento.



A primeira grande fase do movimento feminista se refere à intensa atividade das mulheres ocorrida durante o século XIX e fim do século XX, na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos. Esse movimento tinha como foco basicamente a promoção dos direitos jurídicos, como a questão de direitos contratuais e de propriedade, oposição aos casamentos arranjados e à propriedade de mulheres e filhos pelos seus maridos. Todavia, no final do século XIX, o objetivo do movimento focou, principalmente, a conquista do poder político, especialmente o direito ao voto.

O segundo grande momento do feminismo teve como objetivo a liberação da mulher e se refere a um período de intensa atividade feminista que teve início na segunda metade da década de 1960 e durou até o final dos anos 1980. As feministas dessa segunda onda viam as desigualdades culturais e políticas das mulheres como questões intimamente ligadas. Utilizando do surgimento e da eficácia da comunicação de massa, as feministas encorajavam as mulheres a refletirem sobre diversos aspectos de suas vidas pessoais como estando profundamente relacionadas ao poder – estrutura de poder sexista.

Nesse período que surgiram nos Estados Unidos expressões como “Liberação das mulheres”. Protestos feministas, como a famosa queima de sutiãs, ficaram associados a essa fase do feminismo. Contudo, uma das críticas mais contundentes a essa fase do movimento argumenta que as feministas teriam passado por cima da questão da divisão de classes e com isso não conseguiram atingir os reais pontos que dividiam as mulheres.

Por fim, o terceiro grande movimento feminista começou na década de 1990, em resposta às supostas falhas do movimento anterior. Esse momento do movimento objetivava evitar definições essencialistas da mulher, tipicamente da segunda fase, que se baseava essencialmente nas experiências das mulheres brancas de classe média-alta norte-americanas e britânicas.


(''Eu desejo que eu tinha um pênis''
''Porque então eu te foderia''
''Em seguida, roubaria  seu emprego'')


Esta terceira fase do movimento desafiou os paradigmas do momento anterior do feminismo, colocando em discussão a micropolítica e a discussão sobre o que é melhor para as mulheres. Dentre as questões mais importantes defendidas pelas mulheres dessa fase estão as discussões relativas à questão cultural, social e política da cor, principalmente a participação da mulher negra na sociedade, assim como o debate do feminismo da diferença, cuja discussão se centrou nas diferenças entre os sexos, enquanto que outras vertentes consideram não haver diferenças entre homens e mulheres, cujos papeis estariam socialmente condicionados.

O feminismo alterou principalmente as perspectivas predominantes em diversas áreas da sociedade ocidental, que vão da cultura ao direito. As ativistas femininas fizeram campanhas pelos direitos legais das mulheres (direitos de contrato, direitos de propriedade, direitos ao voto), pelo direito da mulher à sua autonomia e à integridade de seu corpo, pelos direitos ao aborto e pelos direitos reprodutivos (incluindo o acesso à contracepção e a cuidados pré-natais de qualidade), pela proteção de mulheres e garotas contra a violência doméstica, o assédio sexual e o estupro, pelos direitos trabalhistas, incluindo a licença-maternidade e salários iguais, e todas as outras formas de discriminação.



No Brasil, o percentual de mulheres chefes de família cresceu 79% em dez anos, passando de 10 milhões em 1996 para 18 milhões em 2006

Apesar dos avanços feitos pelas mulheres no que respeita à igualdade no mundo ocidental, há um longo caminho a percorrer para se chegar à igualdade, de acordo com as seguintes estatísticas:
* As mulheres detêm apenas 1% da riqueza mundial, e ganham 10% das receitas mundiais, apesar de constituírem 49% da população.[carece de fontes]
* Se considera a criação dos filhos e o trabalho doméstico, as mulheres trabalham mais do que os homens, quer no mundo industrializado, quer no mundo subdesenvolvido (20% a mais no mundo industrializado, 30% no resto do mundo).[carece de fontes]
* As mulheres estão sub-representadas em todos os corpos legislativos mundiais. Em 1985 a Finlândia detinha a maior percentagem de mulheres na legislatura nacional, com aproximadamente 32% (cf. NORRIS, P.. Women's Legislative Participation in Western Europe, West European Politics). Atualmente, a Suécia tem o maior número, com 42%. A média mundial é apenas 9%.[carece de fontes]
* Em média, mundialmente, as mulheres ganham 30% menos do que os homens, mesmo quando têm o mesmo emprego.[carece de fontes]



Minha opinião sobre o assunto.

Sou uma feminista assumida, e com muito orgulho. Para mim o feminismo foi um grande, imenso passo para as mulheres obterem seus direitos, mas como dizem os dados acima ainda é pouco. Violência contra mulher, países que ainda matam suas mulheres como punição para traição, jovem sendo baleada por lutar pelo seu direito de estudar, tudo isso nos mostra que ainda há muito a ser feito. Nós mulheres somos seres magníficos, perfeitos e divinos, e devemos ser tratadas como tal. Feminista assumida eu digo que temos que lutar pelos nossos direitos todos os dias. Não queremos ser homens, queremos ser tratadas com o mesmo respeito, consideração e capacidade de exercer o mesmo papel no mercado de trabalho. Somos capazes de tudo e ainda continuarmos lindas, femininas e sermos ótimas mães.

Fiz esse post para as meninas, por que essa consciência de que somos mulheres capazes deve começar desde cedo. As mães ensinando suas filhas não a serem boas donas de casa, cuidar da família é importante, mas mais importante que isso é preparar sua filha para ser independente.  Já conheci muitos casos de mulheres que ainda estão casadas com certos homens por causa de dinheiro. Não sabem fazer nada e ficam achando que com ele está melhor. Não é assim que funciona! Você está presa e precisa se libertar. Eu sei que não é fácil, mas com o nosso jeitinho a gente consegue sim! Ainda tem muito a que ser feito, mas eu acredito que nós mulheres, NÓS CONSEGUIMOS!





Fontes: Wikipedia
http://www.brasilescola.com/sociologia/feminismo-que-e.htm
 renata massa